Loading...

VISITANTES

Perfil

Minha foto
Brasília, Distrito Federal, Brazil
Um blog comprometido com o resgate da cidadania."O aspecto mais importante do caráter de Cristo, foi sua confiança na grandeza da alma humana". É necessário enxergar a verdade sobre o mundo e sobre nós mesmos, ainda que ela nos incomode e nos seja desagradável.

Pesquisar este blog

Carregando...

Aécio Neves Presidente

Raimundo Ribeiro 45678 -- PSDB

terça-feira, 16 de setembro de 2014

No mesmo barco 'Fernando Cavendish'

Não é novidade que as grandes empreiteiras dão as cartas no Congresso Nacional. Este colunista publicou com exclusividade no site QuidNovi uma gravação do empreiteiro da Delta, Fernando Cavendish, quantificando o preço de um senador da República para garantir obras. 
 
O que o empreiteiro não revelou é se os ministros e o presidente da República também tem preço, mas as investigações da operação Lava Jato revelam a forte ligação entre as grandes empreiteiras e a principal cadeira do Palácio do Planalto. 
 
O depoimento do ex-diretor de abastecimento da Petrobras, Paulo Roberto Costa, revela a triangulação entre as empresas, o governo e os governantes, mostrando como funciona o mecanismo da corrupção. 
 
O escândalo revelado logo após a prisão do ex-diretor da estatal chegou ao Congresso como uma bomba nas mãos da oposição, mas logo em seguida também chegou o silêncio, pois no fundo da fossa estavam as empreiteiras, que também abastecem a oposição. Agora, que não tem mais como esconder, todo o Congresso fica exposto e logo virá o silêncio outra vez. 
 
 
Fonte: QuidNovi por Mino Pedrosa.

Acordo em família 'Liliane Roriz & Dedé Roriz'

"Meu acordo com minha prima Liliane Roriz ficou acertado, peço voto pra mim, se a pessoa não quiser votar em mim, já peço voto pra Liliane, família Roriz está mais unida e forte do que nunca", palavras do candidato Dedé Roriz.

Fonte: Ascom do candidato a Deputado Distrital Dedé Roriz.

DF: TJ extingue pedido de distrital para suspender efeitos de condenação por improbidade

Processo: 2014002021402-4

O Presidente do TJDFT determinou a extinção e arquivamento da medida cautelar ajuizada pelo deputado distrital Aylton Gomes, com vistas à suspensão dos efeitos de sua condenação por improbidade administrativa. Aylton Gomes foi condenado em 1ª e 2ª Instância por participação no esquema de corrupção no DF, conhecido por Mensalão do DEM.

O requerimento de suspensão foi feito sob o argumento de que o juiz da 2ª Vara da Fazenda Pública do DF, responsável pela condenação de 1ª Instância, havia sido julgado suspeito pelo Superior Tribunal de Justiça em outra ação referente à Operação 'Caixa de Pandora', cuja deflagração pela Polícia Federal trouxe à tona o esquema de desvio de dinheiro público.

Na decisão pela extinção, o presidente afirmou: “Ocorre, todavia, que na angustura do incidente cautelar, com limites estreitos fixados na jurisprudência dos Tribunais Superiores, e sem previsão na legislação processual, tal alegação, por si só, não é suficiente para o deferimento da tutela de urgência. É que, além dos numerosos incidentes de suspeição já ajuizados pelas partes nas instâncias ordinárias, há medidas já requeridas junto às Cortes Superiores para o tratamento da matéria, como mencionado pelo próprio requerente em sua inicial. Desta forma, é de cautela que esta Presidência se abstenha de formular qualquer juízo de mérito sobre o caso, sob pena, inclusive, de usurpação de competência. Ante o exposto, extingo a medida cautelar”.

Cópia desta decisão será juntada aos autos da ação principal (2011.011026887-0), cuja condenação já foi confirmada em grau de recurso pela 2ª Instância.

Fonte: Portal Gama Livre / TJDFT.

Candidato é expulso de partido 'Pedro do Ovo'



O candidato a deputado distrital Pedro do Ovo será expulso do PPL/DF. A exclusão de seu nome vai ocorrer na noite desta segunda-feira (15). O motivo da expulsão é o apoio do candidato a outro deputado federal que não é do seu partido.

Fonte: Odir Ribeiro.

Desequilíbrio emocional 'Marina Silva'

A candidata Marina Silva vem mostrando que não tem equilíbrio emocional. O ex-presidente Lula durante comício em Recife disse que tem pessoas que querem acabar com o pré-sal.

A carapuça serviu na candidata Marina Silva que chorou dizendo que o PT está usando métodos que Fernando Collor usou contra Lula na campanha de 1989. O ex-presidente Lula respondeu a Marina que ela precisa explicar porque nasceu e cresceu no PT, recebeu cargos e agora fala mal da legenda em seus discursos.

A candidata demonstrou na entrevista a um grande Jornal que não possui controle emocional no embate com o PT, deixando brecha para ser explorada pelo candidato tucano Aécio Neves.

Fonte: QuidNovi por Mino Pedrosa.

Quadros técnicos 'Marina Silva'

A candidata pessebista ao Palácio do Planalto, Marina Silva, deixa claro que ainda guarda grandes magoas do ex-presidente Lula.

Ao ser atacada pela presidente Dilma Rousseff, diz que não vai fazer o que Dilma vem fazendo com ela ao criticar alguns pontos do governo.

A ambientalista diz que dará a outra face para a presidente Dilma e com certeza não entrará no jogo de entregar cargos para partidos que colocam pessoas incompetentes nos cargos e disse que em seu governo não medirá esforços para se livrar de aproveitadores que colocam camisas de força em troca de apoio.

Fonte: QuidNovi por Mino Pedrosa.

Convocando a turma 'Marina Silva'

As ONGs ambientalistas de todo o mundo serão convocadas nos próximos dias pela candidata Marina Silva para mergulhar em sua campanha pela faixa presidencial.

Marina fará entrevista coletiva para representantes de veículos de imprensa internacional, a estratégia é fazer pressão de fora para dentro, convocando a militância para enfrentar o Partido dos Trabalhadores e formando um tsunami verde.

A coordenação da campanha já não conta mais com a comoção da morte de Eduardo Campos, já que o PT tenta nos bastidores desconstruir a imagem de Eduardo Campos, vinculando-o a escândalos. Marina precisa mostrar que sua ascensão também é fruto de ajuda de ambientalistas.

Fonte: QuidNovi por Mino Pedrosa.

Aécio: Marina é "outro tipo de PT"

Em terceiro lugar nas pesquisas, o candidato tucano lembrou que Marina Silva foi filiada ao PT por 27 anos.

Aécio Neves faz caminhada na cidade de Linhares (ES)
 
O candidato à Presidência da República pelo PSDB, Aécio Neves, disse nesta segunda-feira que eleger a candidata Marina Silva (PSB) é substituir o PT "por um outro tipo de PT". Aécio lembrou que Marina iniciou a carreira política no partido e nele passou 27 anos. "Eu quero dizer a vocês hoje, de forma muito franca, que está chegando a hora da onda da razão. Nós não vamos substituir o governo do PT por outro tipo de PT. Até porque 80% da trajetória da candidata Marina foi feita dentro do partido e, provavelmente, será com uma parcela importante do PT, se ela vencer as eleições, que ela vai governar", disse o tucano após uma caminhada pelo centro de Linhares, no interior do Espírito Santo.

Aécio disse ainda que o partido da presidente Dilma Rousseff, candidata à reeleição, divulga uma "grande falácia" quando afirma que mudou a vida dos brasileiros. "O que muda a vida de cada brasileiro é cada brasileiro que acorda cedo trabalha, estuda, se prepara. O Estado tem a obrigação de, a partir da vocação de cada uma das nossas regiões, ser a mão estendida, o parceiro, o que a Petrobras deixou de ser." O candidato do PSDB fez novas críticas à estatal, dizendo que investimentos estratégicos para os Estados são adiados. "Um exemplo é o polo de gás químico que, mais uma vez, está sendo adiado porque a Petrobras não demonstra condições de cumprir seu cronograma de investimentos."

Fonte: Revista Veja - (com Estadão Conteúdo)

Congresso: PPS cobra convocação de Quadrado na CPI da Petrobras

VEJA mostrou que condenado no mensalão também fez parte de operação montada para poupar a cúpula do PT no caso Celso Daniel. 

Enivaldo Quadrado (à direita), o chantagista, é pago pelo PT para manter em segredo o golpe que resultou no desvio de 6 milhões de reais da Petrobras, em outro caso de chantagem que envolve o ministro Gilberto Carvalho, o mensaleiro José Dirceu e o ex-presidente Lula

O PPS vai pressionar os integrantes da CPI da Petrobras para convocarem Enivaldo Quadrado, condenado no processo do mensalão e que também tem ligações com o esquema do doleiro Alberto Yousseff. VEJA revelou que ele chantageou de forma bem sucedida o PT para omitir a ligação do partido com a trama criminosa que precedeu a morte do então prefeito de Santo André Celso Daniel.

Quadrado recebeu dinheiro do PT para que não entregasse à Polícia Federal informações sobre outra chantagem: o pagamento de 6 milhões de reais ao empresário Ronan Maria Pinto, investigado por integrar uma máfia incrustada na prefeitura petista. O depoimento de Ronan tinha o potencial de arrastar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o ministro Gilberto Carvalho e o ex-ministro José Dirceu para o caso. O empresário ameaçava delatar a existência de um esquema de cobrança de propina que teria funcionado com o aval do comando nacional do PT.

Os 6 milhões de reais foram movimentados por meio de um contrato de empréstimo entre a empresa 2S, do publicitário Marcos Valério, e a Expresso Nova Santo André, de Ronan Maria Pinto cuja convocação pela CPI o PPS também pede. Quadrado participou da trama ao contratar uma empresa que agiu de intermediária na negociação.

A CPI vai se reunir nesta semana para ouvir Paulo Roberto Costa, ex-diretor da Petrobras e delator do amplo esquema de corrupção que beneficiou parlamentares. "O ideal seria aprovar um novo pacote de requerimentos já na próxima quarta-feira, quando a comissão se reúne para ouvir Paulo Roberto Costa", diz o líder do PPS na Câmara, Rubens Bueno (PR).

Fonte: Por Gabriel Castro - Revista VEJA

Passado ao lado 'Aécio Neves'

O candidato tucano ao Palácio do Planalto, Aécio Neves, fez um discurso inflamado em Minas Gerais. Desta vez, não falou em escândalo da Petrobras, mas sim numa virada eleitoral onde garantiu a vitória do tucano Pimenta da Veiga ao governo mineiro e Antônio Anastasia no Senado Federal.

Aécio atacou duramente Dilma Rousseff e Marina Silva e evitou falar de corrupção na Petrobras, já que parente e padrinho político Francisco Dornelles foi apontado no depoimento de Paulo Roberto Costa como um dos beneficiado do esquema corrupto da Petrobras.

A meses Aécio já sabia do envolvimento de Dornelles no escândalo só que o comentário era nos bastidores, só agora ficou oficial após a delação do ex-diretor da Petrobras.

Fonte: QuidNovi por Mino Pedrosa.

Mudando de cor 'Lindbergh Faria'

A falta de apoio direto da presidente Dilma Rousseff a candidatura do petista Lindbergh Faria ao Palácio da Guanabara, fez com que Lindbergh adotasse o discurso de Marina Silva.

O Candidato petista anda de braços dados com o deputado federal e candidato ao Senado Federal, Romário, que é do partido de Marina Silva e escolheu as favelas para explorar o discurso da ambientalista que conquistou grande espaço no eleitorado carioca.

Na opinião de Dilma, Garotinho e Crivella sempre foram os preferidos mesmo que camuflados, com baixíssimo índices nas pesquisas, o petista Lindbergh não nega o apoio da presidente Dilma Rousseff, mas trabalha com o discurso de Marina Silva.

Fonte: QuidNovi por Mino Pedrosa.

No rabo da cobra 'Alexandre Padilha'

O candidato petista ao Palácio dos Bandeirantes em São Paulo, Alexandre Padilha, que fez aniversário ontem deve receber esta semana um presente do Ministério Público Federal. O inquérito que corre na Justiça de desvio de recursos públicos na gestão de Padilha no Ministério da Saúde.

Depoimentos de funcionários do ministério reforçam a ligação de Padilha com o esquema de desvio de verbas publicas. O candidato que está na terceira colocação e sem perspectivas, anunciou a imprensa que lutará pelo legado do ex-presidente Lula e da presidente Dilma Rousseff anunciando uma reviravolta na campanha.

Para alguns o ex-presidente Lula e a presidente Dilma a muito tempo jogaram a toalha e a única reviravolta que pode acontecer em São Paulo é a retirada do apoio publico ao companheiro.

Fonte: QuidNovi por Mino Pedrosa.

segunda-feira, 15 de setembro de 2014

Quiosqueiros apoiam RAIMUNDO RIBEIRO 45678

Turma do bem tem vida curta. E os navios negreiros assombram 'Robério Negreiros'


Os aliados proporcionais do governador Agnelo Queiroz (PT) estão desesperados. Demorou, mas descobriram que colar a imagem à do petista que tenta a reeleição é ser execrado.

Um exemplo claro é o deputado distrital Robério Negreiros (PMDB). Ele tem sido comparado nas ruas aos feitores das embarcações que traziam os escravos da África.

Dizem que ganhar dinheiro com o suor alheio enche cofres, mas custa votos. No fundo, é o que se conclui, a turma é do mal. 

Fonte: Notibras.

TRE: Jofran Frejat e Flávia Arruda registram candidaturas

Na confirmação da nova chapa ao governo do DF, Frejat defendeu resgate da cidadania de Brasília.

O ex-secretário de Saúde, Jofran Frejat e Flávia Arruda registraram na tarde deste domingo (14/09) a candidatura a governador e a vice-governadora do Distrito Federal, no Tribunal Eleitoral Regional (TRE). Eles concorrem pela coligação União e Força (PR/PTB/DEM/PMN/PRTB), que ainda tem o senador Gim Argello na corrida pela reeleição.

Na ocasião, Frejat disse que "respeita a decisão da Justiça (de afastar José Roberto Arruda da corrida ao Buriti), mas que não se conforma". O ex-secretário também defendeu que, se eleito, irá "restabelecer a cidadania de Brasília", com saúde, educação, segurança pública e mobilidade urbana.

Fonte: Por Kelly Almeida - Correio Braziliense.

Ceará: Legalize já 'Cid Gomes'

O governador Cid Gomes provocou um grande protesto dos evangélicos do Ceará ao defender publicamente a legalização da maconha. “Não tenho nada contra a legalização”. Foi o que disse Cid.

Assim, ao levantar essa bandeira de campanha para seu candidato ao Governo, Camilo Santana, do PT, Cid desagradou aos setores mais conservadores da sociedade cearense.

Camilo ao assumir nacionalmente dentro do PT a liderança desse movimento pela legalização das drogas, ficando ao lado de Cid que pelo jeito quer transformar o Ceará num território livre como o Uruguai, não tem medo de perder votos por liberar as drogas. O único problema é que essa lei precisa ser aprovada pelo Congresso Nacional.

Fonte: QuidNovi por Mino Pedrosa.

Preservando a memória 'Armando Monteiro & Lula'

O senador Armando Monteiro e a própria presidente Dilma queriam que Lula fosse para a televisão gravar com ataques a imagem do governador Eduardo Campos e à candidatura de Marina Silva.

Lula sabe que o candidato de Eduardo, Paulo Câmara, virou o favorito para vencer as eleições para o governo de Pernambuco. Mas, se recusa a atacar Eduardo, apesar dos apelos de Armando Monteiro que tem usado sua propaganda para bater em um morto. Lula também não aceita fazer jogo sujo contra Marina.

Fonte: QuidNovi por Mino Pedrosa.

Arrumando as gavetas 'Edson Lobão'

O ministro das Minas e Energia, Edson Lobão, anda muito preocupado após ter nome citado na delação premiada do ex-diretor da Petrobras, Paulo Roberto Costa, preso durante a operação Lava Jato da Polícia Federal.

Na verdade, o que mais preocupa o ministro é o seu filho, Luciano Lobão, que tem estreitas relações com o doleiro Fayed Trabouse, braço direito de Youssef em Brasília.

Fayed é citado na operação Lava Jato usando o posto de gasolina de Carlos Habbib Chater na lavagem de dinheiro de corrupção. A Polícia Federal flagrou o helicóptero de Luciano Lobão abastecendo de bebidas da lancha do doleiro Fayed.

No Maranhão a pastinha Alline abriu portas para Fayed a pedido de Youssef. O doleiro de Brasília chegou a se encontrar pessoalmente com o ministro, Lobão teme que o nome do seu filho venha a baila. Se isso acontecer a presidente Dilma não vai esperar o próximo governo para ceifar a cabeça do ministro.

Fonte: QuidNovi por Mino Pedrosa.

Petrolão: Ex-diretor documentava propinas anotando tudo

Além de entregar, um a um, os políticos que receberam dinheiro sujo do esquema de corrupção, o ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa ofereceu aos investigadores, em seus depoimentos, indícios e até provas dos pagamentos de propina. São anotações detalhadas de datas, locais, quantias e até números de contas bancárias no exterior, onde os destinatários preferiam receber a grana roubada da estatal. 

Paulo Roberto Campos foi diretor de Abastecimento da Petrobras entre 2004 (governo Lula) e 2012 (governo Dilma), e agia com “autonomia”. Ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto da Costa.

Chamado de “Paulinho” por Lula, Paulo Roberto Costa conta que ele e seus comparsas se referiam ao ex-presidente como “Gerentão”.

O ex-diretor temia virar um Marcos Valério, que estava longe de chefiar o mensalão, era só um “office boy de luxo”, mas pegou a maior pena.

Paulo Roberto Costa jura que não liderava o esquema, como se reportasse a um chefe. Mas investigadores ainda não acreditam isso.

Fonte: Coluna Cláudio Humberto.

Ligações explosivas 'Fernando Collor'

A delação premiada do ex-diretor de abastecimento da Petrobras, Paulo Roberto Costa, preso durante a operação Lava Jato da Polícia Federal, trouxe a tona o personagem, Roberto Guimarães, que tem estreitas ligações com o senador Fernando Collor.

Guimarães é cunhado de Pedro Paulo Leone Ramos e foi secretário do tesouro do então presidente Collor, ele é citado na operação Lava Jato atuando em fundos de pensão.

Vale lembrar que foi encontrado recibo de transação bancária entre o doleiro e o senador Fernando Collor. Pelo visto, será difícil para Collor se livrar de tantas evidências que o colocam no olho do furacão.

Afinal, Pedro Paulo Leone Ramos e seu cunhado Roberto Guimarães são ligados ao senador desde época da juventude na Capital Federal.

Fonte: QuidNovi por Mino Pedrosa.

Começa a fritura 'Eduardo Cardoso'

A presidente Dilma Rousseff não esconde mais sua revolta com o ministro da Justiça, Eduardo Cardoso. A queda na cotação de Cardoso de ser o substituto de Joaquim Barbosa no Supremo Tribunal Federal (STF) deve-se a sua incapacidade de controlar a Polícia Federal e agora com o vazamento das fotos do assessor preso do senador Welington Dias, de fazer o mesmo com a Polícia Rodoviária Federal.

Dilma está ciente de que Cardoso não manda em nada na PF, tanto que ela não foi avisada com riqueza de dados sobre a delação de Paulo Roberto Costa. Isso jamais ocorreria na época que era ministro Marcio Thomaz Bastos.

Fonte: QuidNovi por Mino Pedrosa.

Exclusivo: O doleiro e as empreiteiras

  
O grande temor das empreiteiras que abastecem o esquema político de corrupção é a delação premiada do doleiro paranaense Alberto Youssef, preso durante a operação Lava Jato da Polícia Federal. O doleiro já é conhecido pelo juiz Sérgio Moro, como o maior operador de evasão de divisas usando o dinheiro sujo de corrupção e ate narcotráfico.

Youssef operou também o chamado mensalão PT coordenado pelo publicitário Marcos Valério. A delação premiada do doleiro Youssef vai trazer a baila o nome de Haroldo de Meira Rego, conhecido como Pororoca, responsável pelas operações financeira entre as estatais, fundos de pensão e os paraísos fiscais usados no mensalão.

Youssef era o doleiro que enviava os recursos para os paraísos ficais, as grandes empreiteiras faziam parte deste mecanismo e agora a expectativa do juiz Sérgio Moro é que o doleiro venha propor a delação premiada revelando todo o esquema de lavagem de dinheiro público na continuidade do mensalão.

Se a oposição acredita que a delação premiada de Paulo Roberto será o suficiente para alcançar o governo petista, ficarão surpresos com a delação premiada do doleiro, que vai mostrar a continuidade da operação chamada de mensalão do PT. No escritório do delator no Rio de Janeiro foi apreendido uma planilha revelada com exclusividade por esta coluna onde mostrava uma arrecadação junto as empreiteiras 'para financiar campanhas do Partido dos Trabalhadores e da base aliada do governo'.

Toda a operação passa pelo doleiro que fez contatos com representantes de partidos como por exemplo, o tesoureiro do PT, João Vaccari Neto. Numa eventual vitória da presidente Dilma Rousseff, a oposição poderá pedir o 'impeachment', já que os recursos usados na campanha de Dilma são oriundos de corrupção.

Fonte: QuidNovi por Mino Pedrosa.

domingo, 14 de setembro de 2014

Arruda desiste de candidatura ao GDF e Jofran Frejat o substitui A esposa do ex-governador, Flávia Arruda, fecha a chapa como vice

O ex-governador se reuniu com aliados na manhã deste sábado antes de tomar a decisão

Após a derrota no Tribunal Superior Eleitoral e da forte pressão de aliados, o candidato José Roberto Arruda (PR) desistiu de disputar as eleições para o governo do Distrito Federal. Em seu lugar assume o vice da chapa, Jofran Frejat. A mulher do ex-governador, Flávia Peres, entra como vice. O anúncio oficial deverá ser feito ainda neste sábado.

Apesar de resistir à renúncia, o ex-governador foi convencido por aliados próximos que essa seria a melhor decisão a ser tomada. Isso porque havia uma preocupação de que o seu nome permanecesse na chapa até segunda-feira, data com a qual o TSE vem trabalhando como prazo máximo de substituição de nomes.

Apoiadores da candidatura de Arruda estiveram reunidos na casa do ex-governador Joaquim Roriz na manhã de hoje. Alberto Fraga, candidato a deputado federal pelo DEM, e o senador Gim Argello participaram do encontro. Ao deixar a residência de Roriz, Fraga falou rapidamente com a imprensa. Garantiu que a decisão de renunciar partiu do próprio Arruda, que, segundo ele, não sofreu pressão do PR, nem de partidos da coligação. Fraga declarou ainda que Joaquim Roriz e Wesliam Roriz estarão presentes no anúncio oficial da decisão. José Roberto Arruda deixou a casa, localizada no Park Way, sem falar com os jornalistas. 

Fonte: Correio Braziliense.

Eleições: Em 24h, três candidatos a governo barrados na Ficha Limpa renunciam

Em MT e RR, candidatos anunciaram mulheres como substitutas. 

Arruda foi substituído pelo vice na chapa, Jofran Frejat (PR). A mulher do ex-governador, Flávia Peres (PR), foi escolhida a nova vice.

José Roberto Arruda foi condenado pelo Tribunal de Justiça do DF por improbidade administrativa no dia 9 de julho, em segunda instância, pelo suposto envolvimento no esquema de corrupção conhecido por mensalão do DEM. 

Segundo o entendimento do TSE e do TRE, no entanto, a condenação posterior ao pedido de registro também pode ser vista como condição de inelegibilidade.
 
Indeferido pelo TSE, o deputado estadual José Riva (PSD) deu lugar à mulher Janete Riva (PSD) na disputa pelo governo de Mato Grosso

Em Mato Grosso, José Riva teve a candidatura indeferida por ter sido condenado por improbidade administrativa. 

A decisão foi mantida pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) na noite de quinta-feira (11). Nesta sexta, foi anunciada a substituição pela ex-secretária de Cultura de Mato Grosso Janete Riva, mulher de Riva.
 
Neudo Campos foi subsituído pela mulher, Suely Campos, em Roraima 

Em Roraima, Neudo Campos também foi substituído pela mulher, Suely Campos, mas ele ainda aguarda recurso no TSE que deve ser julgado na segunda (15). Paulo César Quartiero (DEM) continua como vice na chapa. 

"Tive de deixar a candidatura e escolhi colocar a minha esposa, pois confio nela e nós seguiremos juntos na disputa eleitoral", sustentou o político ao anunciar a candidatura da mulher. 

Barrados

A um dia do fim do prazo para substituição de candidatos nas chapas nestas eleições, três postulantes a governador renunciaram às candidaturas: José Roberto Arruda (PR), no Distrito Federal; José Riva (PSD), candidato ao governo de Mato Grosso; e Neudo Campos (PP), candidato a governador em Roraima. Os três tiveram os registros barrados pela Lei da Ficha Limpa.

José Roberto Arruda foi condenado pelo Tribunal de Justiça do DF por improbidade administrativa no dia 9 de julho, em segunda instância, pelo suposto envolvimento no esquema de corrupção conhecido por mensalão do DEM.

Na quinta, o TSE rejeitou recursos protocolados pela defesa de Arruda e manteve a decisão de considerar o político inelegível.

A defesa do ex-governador alega que o pedido de registro da candidatura foi feito antes da condenação, quando Arruda ainda era ficha limpa, por isso, o registro não pode ser indeferido.

Segundo o entendimento do TSE e do TRE, no entanto, a condenação posterior ao pedido de registro também pode ser vista como condição de inelegibilidade.

O candidato ainda aguardava manifestação do Supremo Tribunal Federal (STF), mas anunciou a renúncia neste sábado (13), um dia antes do prazo para substituição se encerrar.

Em Mato Grosso, José Riva teve a candidatura indeferida por ter sido condenado por improbidade administrativa. A decisão foi mantida pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) na noite de quinta-feira (11). Nesta sexta, foi anunciada a substituição pela ex-secretária de Cultura de Mato Grosso Janete Riva, mulher de Riva.

O parlamentar já teve quatro condenações colegiadas por crime de improbidade administrativa e, em maio deste ano, chegou a ser preso durante a Operação Ararath por suposto envolvimento em um esquema de lavagem de dinheiro por meio de factorings. Passou três dias no Complexo da Papuda, em Brasília, e depois foi solto.

Janete Riva também já chegou a ser presa. O episódio foi em 2010, quando a Polícia Federal deflagrou a Operação Jurupari, que indiciou 93 pessoas por crimes ambientais na região de floresta amazônica em Mato Grosso.

Em Roraima, Neudo Campos também foi substituído pela mulher, Suely Campos, mas ele ainda aguarda recurso no TSE que deve ser julgado na segunda (15). Paulo César Quartiero (DEM) continua como vice na chapa.

Campos foi condenado poro crime contra a administração pública pelo Tribunal Regional Federal (TRF) da 1ª Região e teve as contas de seu governo rejeitadas pelo Tribunal de Contas da União (TCU).

"Tive de deixar a candidatura e escolhi colocar a minha esposa, pois confio nela e nós seguiremos juntos na disputa eleitoral", sustentou o político ao anunciar a candidatura da mulher.

Fonte: Portal G1em São Paulo / Blog do Ricardo Noblat.

Politica: Lei da Ficha Limpa é explosiva no DF

Em nenhuma unidade da federação, a Lei da Ficha teve tanto impacto como na capital do país.

A regra que tira da política candidatos condenados ou com histórico complicado mexeu com duas eleições ao governo do Distrito Federal.

Em 2010, ano em que a lei foi sancionada, Joaquim Roriz saiu do páreo e deixou a mulher, Weslian Roriz. O vice era o mesmo de José Roberto Arruda, Jofran Frejat.

Agora, quatro anos depois, nas primeiras eleições gerais da Lei da Ficha Limpa, a história se repete.

José Roberto Arruda é atingido pela regra.

Sem saída, precisou abdicar da candidatura. Dessa vez, no entanto, inverteu a chapa.

Frejat é o candidato ao governo e a mulher de Arruda, Flávia Peres, a vice.

Herdeira política de Joaquim Roriz, Jaqueline Roriz (PMN) também trombou com a Lei da Ficha Limpa. A deputada desistiu de recursos no STF e no lugar dela concorrerá o filho, Joaquim Domingos Neto (PMN).

Fonte: Por Ana Maria Campos e Helena Mader - Correio Braziliense.